domingo, 2 de janeiro de 2011

Ao Bentinho


Na palavra
não dita
o segredo

O ato, o fato
sugerido
nos Sinais

Crença
do desejo
em sua urgência

A desconfiança
-limbo da alma-
atoleiro
quase imóvel

No desamor
o vazio
a obsessão

2 comentários:

missosso disse...

Bentinho, lembram de ti os que palmilham o limbo da alma, o atoleiro do desamor, lembras tu de nós? saudades compa,

angela disse...

E como não lembrar