quarta-feira, 15 de junho de 2011

Renitente


É claro!

existe essa dor

essa dor

que não cala

essa dor

que não para


Dessa dor

não adianta fugir

fingir que

passou

que ela acabou

de repente ela

grita


E essa dor

sem nenhum respeito

sem consentimento

desavergonhadamente

mostra-se

completamente


E a vida?

a vida fica

fraquinha

é só um fiozinho

enrolado

no fundo do peito.

3 comentários:

Paula: pesponteando disse...

Gostei de como vc me fez movimetar nesta poesia.fui ficando frágil como aquele longinquo fio de vida...lindo texto!

Dalva Maria Ferreira disse...

Que dor.

angela disse...

Obrigada Paula e Dalva pela leitura e comentário.
beijos