segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Poema de Urgência



Que vontade que me dá

agarrar você com todo despudor

encher sua pele de escamas

de tesão

ser sonambula em seus braços

consciência pra que?

hoje eu quero os sentidos

a sensação

a pele

a insensatez

dispenso todo resto

que não tenho precisão.

2 comentários:

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Fantástico!
Fala de uma realidade universal do humano. Alguns não se permitem sentir.
Um abraço

missosso disse...

uau! olhando a foto e sentindo o poema, lembra aquele verso do gonzaguinha: "como o sol desvirginando a madrugada, quero sentir essa manhã". um feito!