sábado, 2 de abril de 2011

de ontem para hoje

Não é de pulso ou de parede
Não é d'ouro, prata nem
Não de doze as vinte e quatro
Horas que ora os deuses trazem:
Guarda!
poema de Peggy Carvalho do livro: "A Hora Violácea"
(em homenagem a José Paulo Paes)

2 comentários:

angela disse...

Um pequeno e robusto poema.
Muito bom.

Line disse...

lindo, Peggy