sábado, 5 de março de 2011

POEMAS DE DAVID CAPELENGUELA

1

SINAL DE SOM

A chuva costura-se

Sentindo a estepe incomensurável

Dos lábios

Da paisagem

Por dentro

Traz

Por entre véu e vento

A agonia contagiante

Dos relâmpagos

Abraça

O tam-tam do grito rouco

E na encruzilhada dos corais

Consola-se continuamente

2

A DOR

A dor abraça-me ao vento

Dói

Roí

Morre-me no arregaço

E adormece

O ventre

Nos lábios saborosos da lágrima

Em teu chão de luz tangente

Devolve-me

O gesto vago

Contra um louco

Rouco grito

Volátil

Num destroço

Arde-me em combustão

A dor…

3

BRISA BRANCA

Passa fina

Lisa

Refinada

E desce a calçada

Cansada

De

tan

to

gemer ao vento

Linda rapariga

De dócil gesto

Por um instante

gestante

Passa pano fino

frio

no ven

tre

traz

filho

do frio

De pai plural


Naturalizado no Namibe, onde passou infância e adolescência, David Capelenguela nasceu na Província da Huíla. É Jornalista de Profissão. Membro da União dos Escritores Angolanos e membro fundador da Brigada Jovem de Literatura de Angola da Província Namibe. É membro do CEED-Centro de estudos da Educação e Desenvolvimento (Diocese de Ondjica -Cunene).

Publicou:

Pela editorial Nzila:

· Acordanua, poesia, 2009

· Vozes Ambíguas”, poesia, 2004

Pela BJLA do Namibe:

  • Rugir do Crivo, poesia, 1999
  • O Enigma da Welwitschia, poesia, 1997
  • Planta da Sede, poesia, 1989

Fez parte das Antologias poéticas da BJLA da Huíla, “O Sabor pegadiço das impressões labiais”, em 2003 e da BJLA do Namibe, “ Dunas de Kalahari, editada em Janeiro de 2008


3 comentários:

Folhetim Cultural disse...

Olá gostaria que visita se meu blog que é dedicado a cultura. Espero que goste nele tenho uma coluna poética aos sábados ás 09 da manhã espero poder contar com sua visita.

Sucesso em seu espaço.

Magno Oliveira
Twitter: @oliveirasmagno ou twitter/oliveirasmagno
Telefone: 55 11 61903992
E-mail oliveira_m_silva@hotmail.com

nacasadorau disse...

Adoro poesia e este é, pelo que li, um excelente lugar para conhecer autores que não fazem, ainda, parte dos maus manuais.
Voltarei sempre que puder.

Beijinho

missosso disse...

David Capenguela usa a língua de uma maneira que revigora, vou atrás dos livros, haverá jeito de os conseguir?